Justiça mantém prisão de colecionador de armas que trocou tiros com a PM


A Justiça de Marília (SP) negou nesta quarta-feira (6) o pedido de revogação da prisão preventiva do empresário e colecionador de armas que trocou tiros com a Polícia Militar na madrugada da última quinta-feira (30), na área central da cidade.


A Justiça entendeu que o empresário Francis Vinícius Bez Angonesse não poderia ser colocado em liberdade, já que a decisão que converteu o flagrante em preventiva ocorreu levando em conta a necessidade de resguardo da ordem pública, em razão da gravidade concreta da infração cometida pelo indiciado, que fez vários disparos de arma de fogo e tentou matar dois policiais.

O empresário segue internado no Hospital das Clínicas de Marília, escoltado pela Polícia Militar. Assim que receber alta, ele será encaminhado para alguma unidade prisional da região. Troca de tiros Os policiais militares foram acionados por vizinhos que ouviram os tiros na madrugada de quinta-feira. Ao chegar ao local, a equipe viu que o morador estava armado no quintal da casa.

Os policiais se abrigaram atrás de um poste para tentar a negociação, mas o morador começou a atirar com uma pistola 9 mm.

Após intensas trocas de tiros, um policial foi atingido na perna, sendo que o projétil transfixou, causando fratura óssea. Outro policial foi atingido por três disparos no pé, no quadril, ombro e braço, e está aguardando cirurgia para retirada dos projéteis alojados.


A PM informou que o homem é um atirador profissional e, inclusive, frequenta um clube de tiro, além de ser colecionador de armas.


Na casa dele foram apreendidas três armas, sendo uma espingarda e duas pistolas. Ainda dentro da casa do suspeito, a polícia encontrou pólvora e mais munição. O material também foi recolhido.


O caso foi registrado na Central de Polícia Judiciária e está sendo investigado pela Polícia Civil.

'Sensação de assalto'

Um dos moradores que ouviram a troca de tiros entre um colecionador de armas e a PM contou que acordou assustado com o barulho dos disparos. Ele disse que parecia um assalto.


"Era barulho muito forte. Sabe aquela sensação daqueles assaltos a banco que ocorrem nas cidades por aí? Rajadas mesmo de tiro. Aparentemente não parecia ser tiro de revólver comum. Passava algum tempo e outra rajada de tiro, passava mais algum tempo, outra rajada de tiro. Uma coisa assim muito impressionante", afirmou o morador, que não quis se identificar.


Em um vídeo que está circulando nas redes sociais é possível ouvir o barulho dos tiros e a viatura da PM se aproximando do local.


Fonte: G1 Bauru e Marília