Justiça condena União a pagar R$ 150 mil à família do policial federal morto em operação no interior


A Justiça condenou a União a pagar R$ 150 mil de indenização a família do policial federal Fábio Ricardo Paiva Luciano, morto durante uma operação de combate ao tráfico de drogas, em setembro de 2013 em Bocaina (SP).


De acordo com a sentença o agente federal não dispunha de equipamento de segurança adequado para realizar a operação. Fábio Paiva estava sem colete à prova de balas e foi atingido por tiros de fuzil.

Em nota, a Advocacia-Geral da União (AGU) afirmou que "respeita a decisão judicial e oportunamente se manifestará nos autos do processo".

Segundo a investigação, o município de Bocaina servia como rota de pousos e decolagens de aviões carregados com drogas que saiam da Bolívia, entravam no Paraguai e tinham como destino a região de Campinas.


A quadrilha era formada por 16 pessoas e 15 estão presas pelo crime no Brasil, cinco delas foram julgadas em 2019. Fábio Ricardo Paiva Luciano morreu quando a Polícia Federal interceptou um avião que estava carregado com meia tonelada de drogas.


Os criminosos que estavam em terra, perceberam a presença da polícia e reagiram com tiros. Fábio Ricardo Paiva Luciano foi atingido por um deles. Segundo a polícia, o avião foi atingido no tiroteio, caiu e pegou fogo e a droga também foi queimada.

Todos os indiciados foram condenados por integrar organização criminosa, tráfico internacional de drogas, porte e uso de armas. O único que ficou foragido foi o dono do avião. O paraguaio José Luiz Bogado Quevedo, que para a polícia era o líder da quadrilha.


O traficante teve a prisão decretada no mês passado, no Paraguai, depois de ser baleado durante uma festa. José Luiz Bogado Quevedo foi internado em estado grave e pode ser extraditado para o Brasil após a recuperação. Ele é réu em pelo menos 34 processos no Brasil e foi incluído na lista vermelha da Interpol pela polícia brasileira.


A produção da TV TEM, entrou em contato com a Polícia Federal e a União sobre a condenação por dano moral, mas ainda não obteve retorno.


Fonte: G1 Bauru e Marília