Inverno começa nesta terça (21)


O inverno começa oficialmente nesta terça-feira (21) às 06h14 (horário de Brasília) para a maior parte do território brasileiro – com exceção de partes do Amazonas, Pará e quase a totalidade de Roraima e Amapá, que ficam no Hemisfério Norte.


O início da estação é chamado de solstício de inverno – dia do ano com menos horas de luz do que qualquer outro no ano. Geralmente, ele ocorre em 22 de junho, mas pode ocorrer entre 21 e 23. Neste ano, será às 06h13 desta terça (21).


A estação termina em 22 de setembro às 22h04, segundo o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet).


Cesar Soares, meteorologista da Climatempo, explica que, de maneira geral, a partir de agora teremos a entrada de massas de ar mais frias e a permanência delas de forma mais efetiva no Centro-Sul do Brasil.


"Isso porque a gente começa a ter a migração do jato polar (a porta de entrada das massas de ar frio de origem polar) mais para o norte do país. Por isso, a gente tem mais condições de entrada dessas massas", diz.

O inverno é marcado pelo período menos chuvoso das regiões Sudeste, Centro-Oeste e parte do Norte e Nordeste – enquanto as maiores quantidades de chuva concentram-se sobre o noroeste da Região Norte, leste do Nordeste e parte da Região Sul.

De acordo com o Inmet, por causa das massas de ar frio que vêm do sul do continente, pode haver:

  • queda da temperatura média do ar, com valores abaixo de 22ºC no leste do Sul e Sudeste;

  • formação de geadas nas regiões Sul, Sudeste e em Mato Grosso do Sul;

  • neve nas áreas serranas e planaltos da Região Sul;

  • episódios de friagem em Mato Grosso, Rondônia, Acre e no sul do Amazonas.

No período da manhã, pode haver, também, formações de nevoeiros e/ou névoa úmida nas regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste, com redução de visibilidade, especialmente em estradas e aeroportos.


Com a redução das chuvas em grande parte do país nesta época, ocorre a diminuição da umidade relativa do ar, que favorece o aumento da incidência de queimadas e incêndios florestais e de doenças respiratórias.


Fonte: g1