Defensoria Pública pede proteção à integridade física de Lázaro após prisão


ADefensoria Pública do Distrito Federal enviou uma nota à Vara de Execuções Penais para pedir proteção especial à integridade física de Lázaro Barbosa, procurado há 13 dias pelas polícias da capital brasileira e de Goiás, após matar uma família em Ceilândia.

Representando o investigado, a defensoria destacou que quer protegê-lo contra “qualquer forma de sensacionalismo e exposição vexatória em razão da grande repercussão e comoção social vivenciada no caso”. A busca pelo homem já mobiliza cerca de 270 agentes. A nota foi enviada na sexta feira (18) e a Defensoria destaca que jornais nacionais noticiavam falas de agentes da segurança pública afirmando que as buscas estavam se aproximando do paradeiro de Lázaro, ainda foragido até hoje.

No documento, os representantes instituídos para o suspeito pedem que ele seja colocado em uma cela sem companheiros “em caso de sua recaptura com vida”, destacando ainda que o homem é legalmente protegido de violências físicas no ambiente prisional. “Destaca-se que a tortura, bem como a violência física ou psicológica direcionada a qualquer ser humano são consideradas práticas ilícitas vedadas pelo ordenamento jurídico pátrio e pelos tratados internacionais que o Brasil se comprometeu. São valores absolutos que devem ser garantidos a todos, independentemente da conduta criminosa praticada e do clamor da sociedade por justiça”, afirmam os representantes dos defensores públicos do Distrito Federal.

Na conclusão do pedido, a instituição frisa a vulnerabilidade dos presos e pede que Lázaro não seja alcançado por pedidos de declarações para a mídia.

“A defesa requer que seja conferida a proteção do assistido em face de ataques midiáticos e dos pedidos de ‘entrevistas exclusivas’ ou outro tipo de promoção que o exponha ainda mais quando houver a recaptura, pois estamos vivenciando um sensacionalismo exacerbado durante a recaptura de LÁZARO, com inúmeras comparações com filmes de ação, bem como pela proliferação de “memes” nas redes sociais criados pelos usuários sobre o caso”.


http://portal.maistupa.com/2021/06/22/defensoria-publica-pede-protecao-a-integridade-fisica-de-lazaro-apos-prisao/