Acusado de matar ex-namorada garota de programa em Marília é condenado a 30 anos de prisão


O homem acusado de matar a ex-namorada, que era garota de programa e foi achada morta em um quarto de hotel, no centro de Marília (SP), com marcas de violência, em março de 2019, foi condenado por feminicídio a 30 anos de reclusão em regime fechado, durante sessão do Tribunal do Júri realizada nesta quinta-feira (17), por feminicídio.

O julgamento de Gustavo Rodrigo Rodrigues Lopes, que começou por volta das 10h, no Fórum da cidade, foi encerrado no fim da tarde, após mais de oito horas de trabalhos. Por conta da pandemia, o acesso ao local ficou restrito aos participantes indispensáveis ao julgamento. Ao final do julgamento, os jurados reconheceram todas as qualificadoras do crime de homicídio, incluindo a de feminicídio. Ainda de acordo com a sentença, foi negado ao condenado o direito ao recurso em liberdade e ele segue preso. Segundo a Polícia Militar, na ocasião, Ana Paula Rodrigues, de 37 anos, foi encontrada morta por funcionários do hotel, que chamaram o resgate. O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) constatou a morte no local. Crime De acordo com as investigações na época do crime, durante o depoimento, Gustavo contou que sentiu ciúmes após ter se surpreendido com Ana Paula saindo do hotel com um suposto "cliente". O acusado também disse que havia terminado um relacionamento com a vítima poucos dias antes do crime.

No dia do assassinato, Gustavo alegou que foi até o quarto da ex, onde ela estava hospedada já havia três meses, e os dois começaram a discutir. Ainda segundo a polícia, ele teria dito que agrediu Ana Paula com um soco e, para tentar se defender, ela pegou uma faca debaixo do travesseiro.

Nesse momento, ele tomou a faca das mãos dela e passou a deferir golpes, que somaram, pelo menos, quatro facadas na região do pescoço.

Ainda no depoimento, o homem relatou que, ao perceber que outros hóspedes tentaram abrir a porta dos quartos para ouvir as discussões, ele terminou de matá-la por asfixia para que ela não tivesse como gritar por socorro.

Gustavo também relatou à polícia que, depois de matar Ana Paula, ele foi para o seu quarto, tomou banho para tirar os vestígios de sangue e ainda retornou do quarto da ex para pegar o celular, que jogou em uma caçamba. Em seguida, o suspeito fugiu para Tupã (SP).

Após investigações, o homem foi achado na casa da mãe e encaminhado para a delegacia. Em seguida, foi levado para a cadeia de São Pedro do Turvo (SP).

O corpo de Ana Paula foi encontrado no dia seguinte por um funcionário do hotel, que estranhou que ela não havia saído cedo e deixado a chave na recepção como costumava fazer.

Fonte: g1 Bauru e Marília